Total de visualizações de página

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Parte Cento e ?


EXT.Rua-Noite

Três zumbis estão passando em frente a um beco escuro, de repente um barulho vindo do beco atrai a atenção dos zumbis que olham e caminhham para entrar no beco com seus passos lentos, assim que o primeiro zumbi entra ele é atingido por um facão os outros dois zumbis nem tem tempo para atacar e são derrubados, uma figura usando um capuz que cobre quase todo seu rosto sai das sombras ela esta segurando a mão de uma criança de uns três anos, a pessoa de capuz olha para os dois lados como se procurasse mais zumbis então vemos que essa pessoa é Sara alguns anos mais velha.

Sara
Eu disse que não precisava ter medo.

A criança sorri.

Sara
Vamos temos que achar um lugar pra ficar.

Sara pega Caroline no colo e elas caminham pela rua.
CORTA PARA:

INT.Casa-Cozinha-Noite

Sara esta procurando comida no armário da cozinha, Caroline esta sentada no balcão da cozinha comendo uma fruta, Sara esta com parte do braço esquerdo enfaixado alem de alguns curativos no rosto e no outro braço.

Sara
Esta vazia, não sei por que achei que aqui teria.

Caroline oferece a fruta para Sara.

Sara
Não meu amor pode comer, amanha vou tentar trocar algumas dessas frutas por comida.

Caroline
Ta boa mamãe.

Sara
pode comer outra se quiser.

Caroline continua comendo.

INt.Casa-Quarto-madrugada.

Caroline esta dormindo na cama, Sara esta olhando pela janela, ela permanece por algum tempo depois se deita ao lado de Caroline.

INT.Casa-Sala-Dia

Caroline esta sentada no sofá, Sara esta com uma mochila nas costas olhando pela janela.

Sara
Acho que esta tudo limpo.

Caroline não esta prestando atenção em Sara.

Sara
Ei!

Caroline olha pra ela.

Sara
Você sempre deve olhar o local, ver se não tem nada por perto... Por quê?

Caroline
Monstros.

Sara
Exatamente.

Sara saca uma pistola.

Sara
Vem!

Caroline levanta do sofá e segura a mão de Sara.

Sara
Não se preocupe eu estou com você.

Elas saem de dentro da casa.

EXT.Rua-Dia

Elas estão caminhando pela rua a alguns zumbis caidos no chão, alguns mortos outros parecendo doentes.

Caroline
Eles estão dodoi?

Sara
Não.

Caroline
Então por que tão assim?

Sara
É complicado meu amor não se engane com esse tipo, eu deveria aproveitar e acabar com eles agora.

Caroline
Eu espero.

Sara
Não, é arriscado fazer isso agora.

Algumas horas depois.

Sara esta carregando caroline, elas estão chegando perto de um grande portão com muro em volta.

Sara
Você esta ficando muito pesada.

Caroline sorri.

Sara coloca Caroline no Chão e bate no portão, alguns segundos depois dois homens saem armados com metralhadoras.

Homem#1
O que é?

Sara retira da mochila uma sacola e mostra um saco com frutas.

Sara
Troca!

INT.Vila-Dia

A uma grande vila com casas a cerca de seis homens armados, algumas mulheres lavando roupa, uma mulher esta entrando numa casa com uma panela.

Homem#2
Conhece as regras.

Sara
É conheço.

Sara entrega sua pistola e seu facão.

Homem#1
Cuidaremos com cuidado.

Sara caminha em direção a ultima casa da vila, ela observa as mulheres fazendo tarefas e as crianças brincando, Caroline fica olhando as crianças brincar num pequeno parquinho com, balanço, gangorra, escorrego.

Sara
Depois eu deixo você ir lá ta bom?

Caroline
Ta.

INT.Casa de trocas-Dia

Sara e Caroline entra, o local também funciona como paiol de armas tem algumas metralhadoras, pistolas, munição, a enlatados, material de higiene e outras coisas quase como um mercado, a dois homens no local.

Homem#3
Olha se não é a loba solitária não é que ela ainda esta viva.

Sara
Eu nunca estou sozinha.

Homem#4
Estamos vendo sua segurança.

Sara
Por que não tem mulheres trabalhando aqui?

Homem#4
Esse lugar é precioso de mais pra deixar nas mãos de uma mulher.

Sara coloca o saco de frutas sobre o balcão.

Sara
Entendi.

Homem#3
O que você tem visto ai fora?

Sara
Vários quase-mortos a algumas horas daqui.

Homem#4
Estamos preparados pra qualquer coisa.

Sara
É mesmo.

Homem#4
Totalmente.

O homem abre o saco e joga as frutas sobre o balcão.

Sara
Quero alguns enlatados e um sabonete.

Homem#3
Olha você esta querendo demais pra tão pouco.

Sara
Como pouco, tem bastante frutas ai foi ate difícil carregar.

Homem#3
Oferta e demanda querida eu posso te dar um sabonete e um enlatado.

Sara
Eu preciso disso.

Homem#4
Você pode procurar outro lugar pra trocar tem um a uns dois dias de caminhada.

Sara
E se eu incluir um pente com oito balas.

Homem#3
Temos bastante munição.

Caroline esta olhando para Sara.

Homem#4
Por que você não desiste e vem pra cá, teria um teto, comida, e um homem pra te proteger e teria que fazer bem menos do que provavelmente tem que fazer lá fora para sobreviver.

Sara
Eu não vou ficar.

Homem#3
Você que sabe.

Sara
O que vocês querem pra me dar o que eu quero?

Homem#3
Se você for legal com a gente nós podemos ser legal com você.

Sara
ok!

Homem#4
Vamos lá então.

Sara
Espera, vou deixa ela no parque.

EXT.Vila-Dia

Sara esta levando Caroline ate os brinquedos.

Sara
fica brincando enquanto eu pego nossas coisas.

uma lagrima escorre pelo rosto de Sara Caroline seca com a mão.

Caroline fica brincando com as outras crianças enquanto Sara volta para a casa de troca, as crianças brincam como se não houvessem zumbis no mundo.

Alguns minutos depois.

Sara volta pra buscar Caroline, ela esta com um corte na boca.

Sara
Vamos!

EXT.Rua-Dia

Sara e Caroline estão andando pela rua, Sara pega outro caminho e sai da rua principal.

Caroline
Queria brincar mais.

Sara
Você brincou o suficiente outro dia você volta.

Caroline
Ta bom mamãe.

Sara
Consegui algumas coisas pra você, ate mesmo um pouco de leite em pó.

INT.carro-Noite

Caroline esta tomando leite Sara esta comendo feijão em lata.

Sara
o que um apocalipse zumbi não faz, nunca gostei muito de feijão e agora estou devorando essa lata como se fosse uma deliciosa Lazanha, minha mãe fazia uma maravilhosa você ia gostar.

Sara da uma colherada de feijão para Caroline.

Caroline
Não quero.

Sara
Come um pouco refeição agora só amanha a noite, a não ser se eu achar algumas frutas.

Caroline come outra colherada.

Sara
Boa garota...Eu já passei alguns dias dentro de um carro com o meu irmão ele fazia de tudo pra me proteger dos zumbis...

Sara escuta um barulho do lado de fora ela pega a arma e sai de dentro do carro.

EXT.Rua-Noite

Sara aponta a arma numa direção.

Sara
Eu sei que tem alguém ai, saia ou vou começar a atirar.

Uma mulher surge das sombras com as mãos levantadas.

Mulher
Calma.

Sara
Quem é você e por que esta me seguindo?

Mulher
Não estou seguindo você.

Sara
Então por que estava escondida?

Mulher
Não sabia se você esta sozinha agora eu vejo que esta.

Sara
Não estou.

A mulher olha pra dentro do carro e vê Caroline.

Mulher
Sua filha?

Sara
Sim!

Mulher
Você não parece ser velha o suficiente pra ser mãe dela, ela parece ter uns três anos e você...

Sara engatilha a arma.

Mulher
Você não precisa apontar a arma pra mim eu não quero te machucar.

Sara
Seria a primeira pessoa em muito tempo.

Mulher
Meu nome é Michele e eu não quero lhe fazer mal.

Sara é atingida na nuca com uma arma e cai desmaiada, Caroline começa a chorar.

Michele
Por que você fez isso ela não ia atirar.

Mauro
Não confie nela ela matou todos.

segunda-feira, 27 de abril de 2015

OS Últimos sobreviventes:Parte 11



INT.Casa de Matias-Sala- Dia

Julio, Hiago e Ana estão conversando.

Julio
Achamos uma escola, muros altos uma boa vista da redondeza, um bom local para sobreviver, temos alimentos de sobra, armas para proteção, médicos...

Ana
Parece bom demais pra ser verdade.

Hiago
Tirou as palavras da minha boca.

Julio
Eu sei que parece, mas estou dizendo a verdade.

Hiago
Em quantos vocês estão?

Julio
Trinta e cinco no momento.

Ana
É muita gente pra alimentar.

Julio
Temos comida pra pelo menos seis meses e estamos buscando mais se vocês olharem no porta malas do carro vão ver mantimentos.

Hiago
Vocês estão saqueando as casas das pessoas.

Julio
Nós pegamos o que eles deixaram para trás e pelas fotos nesses porta-retratos espalhados por essa sala essa não é a casa de vocês.

Hiago
É de um amigo.
Julio
Vocês tem conseguido sobreviver mais vai chegar a hora que vocês dois não vão conseguir se proteger e terão que ver um ao outro morrer ou talvez se tornar uma dessas coisas, é isso que vocês querem?

Hiago
Pode ser que esse dia nunca chegue.

Julio
Ou pode ser amanha.

Ana
O que teríamos que fazer pra entrar nessa escola?

Hiago
Você esta realmente considerando a hipótese?

Ana
Pelo menos deveríamos pensar um pouco a respeito.

Hiago
Não tínhamos planos.

Ana
Nós tínhamos uma aventura, não um plano.

Julio
As coisas não vão melhorar, se o exercito fosse resolver o problema já teria resolvido, não sei se vocês assistiram as ultimas noticias, mas os estados unidos já jogou a toalha o ataque que eles realizaram só serviu pra criar mais dessas coisas.

Hiago
Dane-se que os estados unidos desistiram, nós não somos americanos somos brasileiros e não desistimos nunca.

Ana
Deveríamos ir com ele.

Hiago
Não...

Ana
Hiago, eu não vou deixar você sair por ai sozinho, mas eu não posso deixar essa oportunidade passar então você vem comigo.

Hiago
Eu não vou! Acho que é aqui que a gente se separa.
Hiago joga a arma de Julio no sofá e caminha para sair, quando Ana bate na nuca dele com a coronha da arma Hiago cai no chão.

Ana
Eu disse que você vem comigo.

Julio
Deus abençoe as mulheres e seu poder de persuasão.

Ana
Pode me ajudar a carrega-lo?

Julio
Claro!

Julio levanta e vai pegar a arma ele para e olha pra Ana.

Julio
Eu posso?

Ana
Claro, já passamos dessa parte.

EXT.Rua-Dia

Julio e Ana saem de dentro da casa carregando Hiago, tem outro carro parado atrás do carro que Julio veio.

Vitor
O que houve?

Julio
Digamos que ele é uma pessoa difícil de convencer.

Vitor
Sei bem disso.

Julio
Vamos colocá-lo no carro.

Beatriz
O porta-malas está cheio.

Ana
Quem falou que ele vai no porta malas?

Beatriz
Pensei que fosse, erro meu.


Julio
Espero que ele não acorde no meio do caminho.

Vitor engatilha a arma.
Vitor
Se ele acordar eu dou um jeito.

Ana olha pra ele.

Vitor
Só estou brincando.

Eles entram no carro.

INT.Carro-Dia

Vitor esta dirigindo, Julio esta no banco do passageiro, no banco de trás Beatriz, Ana e Hiago que está desacordado.

Julio
Vocês são parentes?

Ana
Não!

Beatriz
Namorados?

Ana
Também não.

Beatriz
Então vocês são apenas dois loucos que fugiram do manicômio?

Ana
Nos conhecemos no dia que isso começou e estamos sobrevivendo juntos desde então.

Julio
Nunca houve mais ninguém no seu grupo?

Ana
Sempre fomos uma dupla.

Vitor
Tiveram sorte de sobreviver tanto tempo.

Ana
Sorte não tem nada haver com isso ou não lembra como enganamos vocês?


Vitor
Claro que lembro... Mais aquilo foi sorte.
Ana
Se você ta dizendo.

Beatriz
Por que vocês estavam saindo da casa?

Ana
Isso é realmente importante?

Julio
Você não precisa responder se não quiser, mas seria bom saber um pouco mais sobre vocês talvez o caminho que vocês iam seguir seja útil para o grupo.

Ana
Duvido muito disso.

Julio
Nunca se sabe.

Ana
Estávamos indo para a fronteira.

Julio
Serio?

Ana
Sim!

Beatriz
Por que vocês iam fazer essa idiotice?

Ana
Conhecer outro país.

Vitor(Sorrindo)
Vocês realmente devem ter fugido de um manicômio.

Ana
Nós estamos num manicômio não vê a loucura que esta ai fora.

Julio
É verdade, mas se todo mundo bancar o louco não será com os mortos que teremos que nos preocupar.

Ana
Eu já me preocupo mais com os vivos do que com os mortos.


Beatriz
Por isso que sai por ai atirando na cabeça das pessoas.

Ana
Foi na orelha mais eu podia ter acertado a cabeça.

Julio
Estou curioso como vocês pretendiam chegar a outro pais vocês tinham mapas ou algo do tipo?

Ana
Não, o plano era ir improvisando pelo caminho seguir as placas na estrada.

Julio
Seria uma aventura e tanto.

Beatriz
Loucura o senhor quer dizer.

Julio
A loucura e a aventura andam lado a lado.

Vitor
Pra mim são coisas completamente diferentes.

Julio
Diria que são primas, quantas pessoas já não pensaram em fazer exatamente isso largar tudo e sai por ai sem destino certo... Todo mundo deveria fazer isso uma vez na vida.

Beatriz
Quem sai sem destino acaba se perdendo no meio do caminho.

Julio
Às vezes é preciso se perder para achar o caminho certo.

Vitor
Você já fez uma loucura dessas não é senhor.

Julio(Sorrindo)
Quando eu era mais jovem eu fiz algumas loucuras Vitor.

Ana
Arrepende-se de ter feito?

Julio
Não, eu me tornei uma pessoa melhor... Não se pode ter uma visão ampla, abrangente e generosa das pessoas vegetando num cantinho do mundo pela vida inteira.

Beatriz
Profundo.
Julio
Mark Twain disse essas palavras.

Ana
Nunca tinha escutado essa frase.

Julio
O mundo é cheio de belas frase que não conhecemos.

Vitor
Verdade.

Julio
Mais não importa o quão bela seja uma frase, no Maximo são usadas vinte três letras para forma-la.

Beatriz
Tão pouco.

Hiago começa a acordar.

Ana
Ele esta acordando.

Beatriz bate na cabeça de Hiago.

Ana
Por que você fez isso?

Beatriz
Desculpa, foi reflexo.

Julio
Beatriz, eles não são nossos inimigos.

Beatriz
Eu sei e realmente lamento é que ela disse ele esta acordando eu não pensei muito só agi... Desculpe.

Ana
Acho que estávamos mais seguros vagando por ai.

Julio
Não se preocupe isso não vai se repetir.

Ana
Melhor mesmo.

Beatriz
Mais uma vez me desculpe.
EXT.Rua-Dia

Eles param em frente a uma escola a dois carros em frente ao portão bloqueando a passagem, Vitor para o carro e desce o portão da escola se abre e de dentro saem dois homens eles e Vitor empurram os carros, Vitor volta para o carro e dirige para entra na escola.

EXT.Escola-Pátio-Dia

Vitor estaciona o carro e eles descem.

Julio(para os dois Homens)
Vocês poderiam ajudar aqui.

Os homens tiram Hiago do carro.

Julio
Leve ele para a enfermaria.

Ana caminha para ir junto com Hiago.

Julio
Você poderia ajudar a carregar os suprimentos Ana?

Ana olha para os homens carregando Hiago e depois para o porta malas do carro.

Beatriz
Não precisa se preocupar com o seu namoradinho se quiséssemos fazer mal a vocês já teríamos feito não acha?

Ana
Não se fossem canibais.

Beatriz
Sou vegetariana.

Ana
Acho que é pior do que ser canibal.

Vitor(Sorrindo)
É o que eu vivo dizendo não confie em alguém que não come carne.

Beatriz
Cala a boca, Vitor!

Julio
Desse jeito vocês vão assustar a visita.

Ana
Eles não me assustam.

Ana pega alguns suprimentos no carro e ajuda a carregar para dentro.

INT.Escola-Cozinha-Dia

Ana esta colocando os suprimentos na mesa, ela fica surpresa com a quantidade de coisas que eles têm.

Ana
Vocês juntaram tudo isso?

Vitor
Tudo não, algumas coisas já tinham aqui.

Beatriz
A maioria foi à gente.

Ana
Nossa! Deve ter comida pra uns seis meses.

Vitor
Se diminuirmos uma refeição por dia sim caso contrario isso vai dar para uns quatro meses no Maximo.

Beatriz
Temos muitas pessoas aqui.

Vitor
E agora tem mais duas bocas.

Mauricio e Murilo entram.

Murilo
Quem diria mesmo eu não tendo ido vocês voltaram inteiros.

Vitor
Se liga cara nos saímos bem melhor sem você.

Murilo
Também estou feliz em te ver cara.

Mauricio
Quem é ela?

Beatriz
Ela esta com a gente agora... Pelo menos eu acho que esta.

Ana
Meu nome é Ana e acho que vamos ficar aqui por algum tempo.


Mauricio
Vamos?

Murilo
Ela deve esta se referindo aquele garoto que levaram para a enfermaria.

Mauricio
E eu pensando que era um prisioneiro.

Vitor
Não fazemos prisioneiros.

Ana
Ainda!

Beatriz
O que quer dizer com isso.

Ana
Você disse que tem muitas pessoas aqui alguém sempre faz alguma besteira se vocês não matarem a pessoa vai ter que começar a pensar no que fazer poderia banir a pessoas mais ela poderia revelar a sua localização então aprisionar seria a melhor solução.

Mauricio
Concordo com ela.

Murilo
Tem que matar o infeliz pra servir de exemplo.

Julio entra.

Julio
Não é assim que resolvemos as coisas Murilo.

Murilo
Estava ouvindo senhor.

Julio
Ouvi o suficiente, matar só pra se defender.

Murilo
Exatamente senhor.

Julio
Ana, é melhor você ir ate a enfermaria se o Hiago acordar num lugar estranho ele pode ficar meio agressivo.

Ana
É bem provável, onde fica a enfermaria?

Vitor
Eu te levo lá.

INT.Escola-Corredor-dia

Ana e Vitor estão caminhando em direção à enfermaria, algumas crianças passam correndo por eles.

Vitor
Cuidado ou vão acabar caindo.

Ana
Parecem felizes.

Vitor
Ainda bem não é?

Ana
As vantagens de ser criança é que mesmo com tudo isso acontecendo elas agem como se estivesse tudo bem.

Vitor
Elas estão seguras aqui então é normal elas agirem como...

Ana
Crianças!

Vitor
Exatamente.

Ana
Desculpa ter roubado e atirado em vocês.

Vitor
Não posso culpá-la esta uma loucura lá fora, mas não precisava ter atirado.

Ana
Acho que ele não vai ficar muito feliz de me ver aqui.

Vitor
Depois resolvemos isso.

Eles abrem a porta da enfermaria e veem Hiago segurando uma mulher com uma faca apontada para a garganta dela.

Ana
Hiago Abaixa esse bisturi.

Hiago
Só quando deixarem a gente sair.


Visitem::

Um novo começo para o fim

Historia Extra: Antártida Parte 2



Dia Seguinte
INT.Estação de Pesquisa-sala de comunicação-Dia

A Pesquisadora esta com o radio na mão, o pesquisador1 entra.

Pesquisador1
diga?

Pesquisadora
Captei transmissões de embarcações que estão se aproximando.

Pesquisador1
Brasileiras?

Pesquisadora
Não... Varias nacionalidades.

EXT.Neve-dia
Vários navios estão se aproximando da costa.

INT.Estação de Pesquisa-sala de comunicação-Dia

Pesquisador#1
Tentou contato com os navios.

Pesquisadora
Eles não respondem ao meu chamado.

Pesquisador#1
Vou ver se vejo alguma coisa.

Pesquisadora
Se você for ate o porto agora não vai voltar antes do anoitecer.

Pesquisador#1
Se essa é a melhor chance que temos de sair daqui estou disposto a arriscar.

Pesquisadora
Eles não estão vindo nos buscar.

Pesquisador#1
Talvez possam nos dar uma carona.

Pesquisadora
Acho que eles não pretendem ir embora tão cedo.

Pesquisador#1
Por que acha isso.

Pesquisadora
Eu falo um pouco de alemão e pelo que eu entendi de uma das transmissões eles estão com suprimentos pra um ano.


Pesquisador#1
Isso é mal... Muito mal.

Pesquisador#1 sai da sala de comunicação, a pesquisadora volta a tentar contato com uma das embarcações.

INT.Estação de pesquisa-Corredor-Dia

O pesquisador #2 se aproxima do Pesquisador#1.

Pesquisador#2
O que ela queria?

Pesquisador#1
Parece que tem algumas embarcações se aproximando.

Pesquisador#2
Ótimo, finalmente vamos sair daqui.

Pesquisador#1
Aparentemente eles não estão vindo nos buscar.

Pesquisador#2
Como assim? O que eles querem então?

Pesquisador#1
É o que eu vou tentar descobrir traga-me a pistola, por favor.

Pesquisador#2
Eu vou com você.

Pesquisador#1
Não, se eu não voltar significa que eles não vieram em paz.

Pesquisador#2
Cara você esta me assustando.

Pesquisador#1
Eu também estou assustado.

INT.Estação de pesquisa-Quarto-Dia

O pesquisador#1 esta colocando mais casacos.

Pesquisador#1
Isso é uma péssima idéia.

O pesquisador#1 sai do quarto.

EXT.Neve-Dia

O pesquisador1 esta andando na neve esta ventando um pouco.

INT.Estação de pesquisa-Sala de comunicação-Dia

A pesquisadora e o Pesquisador2 estão na sala.

Pesquisador2
Então você acha que eles vieram tomar a estação e nos expulsar?

Pesquisadora
Eu não sei, só sei que eles não pretendem ir embora.

Pesquisador2
Como vamos nos defender? Não consigo me defender nem verbalmente quem dirá fisicamente.

Pesquisadora
Temos uma arma.

Pesquisador2
Não esta mais aqui ele levou se matarem ele com certeza vão pegar a arma.

Pesquisadora
Talvez seja melhor não pensar nisso agora.

Pesquisador2
E o que vamos pensar? Talvez nossas famílias estejam mortas, talvez nunca saiamos daqui ou talvez essas pessoas entrem aqui e nos matem a qualquer minuto.

Pesquisadora
Acha que eu não estou pensando nessas coisas? Não a nada que a gente possa fazer a não ser esperar.

Pesquisador2
Tem razão... Se eu soubesse que algo assim ia acontecer nunca teria vindo.

Pesquisadora
Bem vindo ao clube.

Pesquisador2
Será que ele já chegou ao cais?


Pesquisadora
Talvez, apesar de que o tempo lá fora não esta dos melhores.

EXT.Neve-Dia

O pesquisador1 esta olhando a primeira embarcação que parece que acabou de atracar, ele está ofegante de tanto caminhar na neve.

Pesquisador1
Droga!

Ele vê outros navios parados um pouco distante da costa ele tenta lê os nomes dos barcos mais não consegue.

Pesquisador1
O que será que eles querem?

Ele vê dois homens descendo do navio, ele engatilha a arma e se aproxima dos homens que apontam pistolas na direção dele e falam numa língua que ele não conhece, os homens gritam irritados.

Pesquisador1
Português, alguém fala português ou inglês? English?

Outro homem desce do navio e se aproxima dele.

Homem
Eu falo português.

Pesquisador1
Graças a Deus.

Homem
Quem é você?

Pesquisador1
Eu deveria perguntar isso eu trabalho aqui faz dias que estamos esperando que alguém venha nos buscar e de repente todos esses navios aparecem.

Homem
Não viemos buscar vocês.

Pesquisador1
Eu imaginei.

Homem
Em quantos vocês são?
Pesquisador1
Não muitos.

Homem
Consegue ser mais especifico?

Pesquisador1
Oito, quer dizer sete uma se matou.

Homem
Como ela se matou?

Pesquisador1
Cortou os pulsos.

Homem
Como vocês lidaram com ela quando ela se transformou? Vocês têm armas?

Pesquisador1
Ela não se transformou e nós não temos armas só essa aqui.

O homem fala com os outros homens em outra língua todos parecem surpresos.

Pesquisador1
Suponho que não estejam falando nada que me interesse não é?

Homem
Pelo contrario.

Pesquisador1
Notei uma certa expressão de surpresa nos olhos deles.

Homem
Onde esta o corpo?

Os outros homens voltam para o navio.

Pesquisador1
Guardamos para dar um enterro digno quando fossemos resgatados.

Homem
Acredito que tenha alguém no navio que queira olhar o corpo.

Pesquisador1
Por quê?


Homem
Você sabe o que esta acontecendo no mundo não sabe?

Pesquisador1
As pessoas se matando?

Homem
Sim se espalhou muito rápido por que basta uma mordida pra você se transformar, entretanto se você morrer você volta como uma dessas coisas mesmo não tendo sido mordido a não ser que o seu cérebro tenha sido destruído.

Pesquisador1
Como eu já disse, ela cortou os pulsos mais não se transformou.

Homem
E como eu disse tem alguém que gostaria de olhar o corpo.

Pesquisador1
Não sei se posso permitir isso.

Homem
Deixa-me tentar te explicar uma coisa, vê todos esses navios? Eles estão carregados de suprimentos para os próximos dois anos e entre os passageiros estão alguns dos mais poderosos lideres mundial e alguns dos mais renomados cientistas, sua amiga não se transformou então a uma pequena possibilidade de no corpo dela esta a cura alem do mais cada líder trouxe um pequeno grupo de soldados acha que algum deles vai se importar com um enterro digno se a salvação da humanidade pode esta no corpo dela?

Pesquisador1
Colocando dessa forma.

Homem
Agora que resolvemos esse impasse por que não me leva ate o corpo.

Pesquisador1
Não é seguro andar por ai a noite.

Homem
Ainda não anoiteceu.

Pesquisador1
Acredite vai anoitecer em breve e nós não chegaremos a estação de pesquisa antes do anoitecer

Homem
Tudo bem! Podemos esperar ate amanha.

Visitem:

Um novo começo para o fim


sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Video Hq Filhos do APocalipse

video

Não ficou muito bom foi o primeiro video que eu editei divulguem nas suas paginas do facebook. assistam em fullscreen.

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Parte Cento e Vinte e Três: A Comitiva do apocalipse


INT.Escola-Sala 104-Fim de tarde

O corpo de Felipe e Maria estão lado a lado todos dois tem um ferimento na cabeça, Letícia observa com uma expressão triste no rosto, Mauro entra.

Mauro
Ficar olhando os corpos não vai trazê-los de volta.

Letícia
Não consigo aceitar que eles se foram.

Mauro
Eu não consigo acreditar que chegamos tão longe...

Letícia
Nosso grupo esta acabando... Primeiro o Marcos, depois a Lina e agora eles quem vai ser o próximo?

Mauro
No momento o Matias e a Julia estão mais próximos de serem os próximos.

Letícia
O Gabriel disse que eles vão se recuperar.

Mauro
Se não houver nenhum contratempo.

Letícia
Que tal um pouco de pensamento positivo Mauro?

Mauro
Eu tive pensamentos positivos sobre esse lugar, achei realmente que poderíamos começar a reconstruir o mundo e olha onde estamos agora tendo que pensar em reconstruir o lugar.

Letícia
Não vamos reconstruir nada, vocês disseram que esse grupo que nos atacou tem um bom local é pra lá que nós vamos e se eles se opuserem mataremos ate o ultimo deles.


Mauro
Tem crianças lá.

Letícia
Não são nossas crianças.

Mauro
Matar crianças não faz o nosso estilo.

Letícia
Você viu os corpos lá fora? Alguns tem no Maximo 17 anos isso é uma guerra... Inocentes morrem.

Mauro
Ninguém é inocente, a partir do momento que tiveram que pegar em armas deixaram de ser inocentes... Quando você pretende partir?

Letícia
Quando o Gabriel disser que o Matias pode viajar.

Mauro
Matias e a Julia certo?

Letícia
Claro!

Mauro
Temos que ver se teremos munição para atacar.

Letícia
Eles não vão lutar.

Mauro
É bom que esteja certa, por que só tem nós dois e o Gabriel para lutar.

Letícia
Eu preciso ir num lugar.

Mauro
Que lugar?

Letícia
Na cidade.

Mauro
Posso perguntar o por quê?

Letícia
Descobrir quem eu sou.

Mauro
E você acha isso uma boa ideia?

Letícia
Eu preciso descobrir.

Mauro
Eu entendo, deve ter curiosidade de saber seu verdadeiro nome, se tem parentes por aqui... Entretanto descobrir quem você realmente é pode ser um fardo muito grande pra carregar.

Letícia
Acha que eu sou alguma espécie de monstro que ajudou a causar tudo isso?

Mauro
Acho!

Letícia
Obrigado pela honestidade, mas eu sinto que não tenho nada haver com isso.

Mauro
Encontraram você amarrada, você é imune as mordidas não acha isso nem um pouquinho estranho?

Letícia
Talvez eu faça parte de um pequeno grupo que não é atingido pelo vírus, lembra que o Marcos disse que a esposa dele não se levantou.

Mauro
E lembro que ele disse que ela estava grávida.

Letícia
Eu não sei por que sou imune é uma das coisas que eu quero descobrir.

Mauro
Talvez devesse esperar o Matias melhorar ai vocês discutem isso.

Letícia
Não tem nada pra ser discutido eu preciso ir.

Mauro
Talvez você não seja mais bem vinda quando voltar.

Letícia
Vou correr o risco.
Mauro
O que faremos agora, chefe?

Letícia
Chame suas amigas as duas que não estão feridas, partiremos amanha tomaremos aquela estação de Tv quando o Matias e a Julia estiverem melhor você os levara ate lá, provavelmente eu já vou ter voltado.

Mauro
E se descobrir que foi você... vai voltar mesmo assim?

Letícia pensa por alguns segundos.

Letícia
Se tiver sido eu, você nunca mais vai ver o meu rosto.

Mauro
Mais um motivo pra você esperar o Matias acordar, se você não voltar ele com certeza vai atrás de você.

Letícia
Se eu esperar ele acordar posso acabar desistindo.

Mauro
Vou dizer pra elas se prepararem.

Letícia
Obrigado!

Mauro sai da sala.

INT.Escola-Refeitorio-Fim De Tarde

Mauro, Laura, Tamires e Alicia estão conversando.

Alicia
Acabamos de sair de uma guerra e você já quer entrar em outra?

Mauro
Não vai haver uma guerra, eles vão entregar o lugar pacificamente.

Laura
Vai expulsa-los de lá?

Mauro
Acredito que não

Alicia
Eles são canibais, merecem morrer na estrada.

Mauro
Tem crianças lá...

Tamires
Crianças canibais pelo visto.

Mauro
Não se preocupem eles não vão resistir.

Laura
Nem tem como ter certeza Mauro, eles podem se entregar a principio mais eles não vão aceitar outro grupo dando ordens ainda mais um grupo bem menor do que o deles.

Mauro
Noventa porcento do atual grupo deles é formado por mulheres e crianças se eles tentarem alguma coisa nós damos um jeito.

Alicia
Não somos do seu grupo, nós vamos seguir o nosso caminho... Não é Laura?

Laura
Estou pensando em ficar um pouco com eles Alicia.

Alicia
Não acredito! Não temos que ficar com eles nos viramos bem sozinha é assim que sobrevivemos.

Tamires
Também gostaria de ficar com eles Alicia.

Alicia
Vocês estão esquecendo que ficar longe de grupos foi o que nos manteve vivas ate agora.

Mauro
O que manteve vocês vivas foi as habilidades que adquiriram desde que isso começou.

Laura
Decidimos isso depois Alicia, mas ate o seu braço melhorar por completo ficaremos com eles.

Alicia
E se eu quiser ir embora você vai me impedir?

Laura balança a cabeça de forma positiva.
Alicia
Vamos acabar como bifes numa frigideira.

Mauro
Não comigo por perto.

Alicia
Você é tão insuportável que eu não entendo como você consegue conviver com você mesmo.

Mauro
Continue disfarçando seu amor.

Alicia
Eu ainda tenho um braço bom e cinco balas na pente da pistola.

Mauro
Você não conseguiria sacar sua pistola e atirar em mim antes que eu já tivesse disparado pelo menos duas vezes em você.

Laura
Ok, Billy the kid e Doc Holyday todos nós sabemos que vocês são rápidos no gatilho, mas agora chega de bater boca que tal?

Mauro
Preciso dormir um pouco.

EXT.Escola-Terraço-Noite

Letícia esta encostada na parede olhando as estrelas quando Sara entra, ela esta com curativo onde levou o tiro.

Sara
Estava procurando você.

Letícia
Aconteceu alguma coisa?

Sara
Não, quer dizer alguns zumbis apareceram mais o Mauro já deu um jeito neles.

Letícia
E o Matias?

Sara
O Gabriel disse que ele vai sair dessa.

Letícia
Ele é forte demais para morrer.

Sara
Todos nós morremos um dia.

Letícia
É a única certeza que temos...

Sara
Não se culpe pelo que aconteceu a Maria e o Felipe.

Letícia
Eu aprendi a gostar do Felipe com todas as imperfeições que ele tinha acho que ele sempre foi um dos responsáveis por nos manter unidos... e honestamente eu não pensei que a morte da Maria fosse me abalar tanto.

Sara
A Caroline vai crescer sem uma mãe, nem ao menos vai se lembrar do rosto dela.

Letícia
Eu não lembro do rosto da minha mãe, talvez seja a mulher que eu vejo as vezes no meu sonho.

Sara
Minha mãe me deu uma foto para que eu sempre lembra-se que as coisas já foram perfeitas e que um dia tudo pode voltar a ser.

Letícia
As coisas nunca vão voltar a ser como eram Sara... Exatamente como eram não é impossível.

Sara
Se continuarmos agindo desse jeito é claro que não! Nós só estamos tentando sobreviver quando deveríamos esta tentando reconstruir nós nos acomodamos, por isso a Maria e o Felipe estão mortos, temos que reconstruir o mundo.

Letícia
É muita coisa pra seis pessoas reconstruir.

Sara
Então começaremos reconstruindo essa cidade, acolhendo sobreviventes dando a eles um propósito.

Letícia
Não posso pensar nisso agora Sara.

Sara
Por quê não?

Letícia abaixa a cabeça.

Sara
Por quê não?

Letícia
Eu vou voltar para a cidade.

Sara
Por quê?

Letícia
Lembrei de onde é a chave que tinha no meu bolso, é do cofre de um banco e eu preciso descobrir o que tem dentro.

Sara
Tem mais alguma coisa não é?

Letícia
Talvez eu não volte.

Sara
Você não pode simplesmente nos deixar assim, não importa o que esteja nesse cofre, isso se tiver alguma coisa, você é uma de nós e sempre vai ser.

Letícia
Mesmo se eu tiver causado tudo isso, inclusive a morte da sua mãe?

Sara
Eu causei a morte da minha mãe... Esse é o meu fardo.

Letícia
Talvez eu não queira voltar, talvez eu não consiga olhar vocês nos olhos sabendo que fui responsável por todo esse mal.

Sara
Se você não voltar, nós vamos atrás de você.

Letícia
Acho que você vai ser uma grande líder algum dia.

Sara
Há muitos que podem ser líder antes de mim, Você, Mauro, Gabriel, Julia, aquelas garotas que o Mauro trouxe, eu acho que tenho alguns anos antes de começar a pensar nisso.

Letícia
Nunca se sabe.

INT.Escola-Sala 105-Noite

Gabriel esta sentado olhando Caroline que esta dormindo num colchão junto com Karine, os olhos dele estão cheios de lagrimas.
CORTA PARA:

EXT.Escola-Pátio-Dia

Eles estão queimando o corpo de Felipe e Maria estão presentes, Letícia, Mauro, Gabriel, Sara e Karine, Gabriel esta com Caroline no colo.

Gabriel
Ela não merecia isso.

Mauro
Pelo menos quem fez isso também esta morto.

Gabriel
Deveria me sentir melhor com isso? Eu não sou você Mauro a morte daquele cara não faz diferença nenhuma, nós perdemos tanto quanto eles.

Gabriel aponta com a cabeça em direção a Caroline.

Gabriel
E ela perdeu mais do que todo mundo.

Mauro
Nós cuidaremos dela...

Gabriel
Claro que cuidaremos, mas nenhum de nós é a mãe dela.

Mauro
Eu entendo doutor, eu realmente entendo.

Mauro se afasta, Letícia coloca a mão no ombro de Gabriel.

Letícia
Nós vamos ate a emissora de TV.

Gabriel
Ok!

Letícia para ao lado de Sara.
Letícia
Ajude o Gabriel a proteger o lugar enquanto estivermos fora.

Sara
Pode deixar.

Letícia caminha em direção ao portão, Mauro esta falando com Laura.

Mauro
Você não precisa ir.

Laura
Não tenho nada melhor pra fazer mesmo.

Mauro
Vamos lá então.

Laura
Tem certeza que não quer que a Tamires vá? Ela pode ser útil.

Mauro
Prefiro que ela fique, caso tenha algum problema por aqui ela pode ser mais útil aqui do que lá.

Laura
E se acontecer algum problema lá?

Mauro
Reze pra que nós três seja o suficiente para resolver.

Laura
Animador.

Eles caminham em direção ao portão.

INT.Caminhão-Dia

Mauro esta dirigindo, Letícia E Laura estão ao seu lado.

Letícia
O que você fazia Laura antes disso tudo começar?

Laura
Coisas.

Letícia
Que tipo de coisas?
Laura
Nada de mais.

Letícia
Misteriosa né.

Laura
Não tanto quanto você.

Letícia
Não tive a oportunidade de agradecer por você e suas amigas terem vindo ajudar.

Laura
Os argumentos do Mauro foram bem convincentes.

Letícia
Imagino que sim.

Mauro
Eu sou bem convincente quando eu quero ser.

Letícia
Conhecendo o Mauro é estranho que vocês se deem bem.

Laura
Talvez tenha sido por que eu derrubei ele.

Letícia
Você também?

Mauro
Você não me derrubou Letícia e Você Laura me derrubou com um tiro.

Laura
O ego masculino, vocês sempre tentando arranjar uma desculpa.

Mauro
Estava escuro, vocês estavam camufladas numa luta justa você não teria a mínima chance.

Laura
Contando que eu sobreviva uma bala torna a luta justa no meu ponto de vista.

Letícia
O Mauro parece os personagens de filmes de ação antigo, cheio de armas por perto mais preferem resolver na porrada.


Mauro
Você conhece os filmes de ação de antigamente?

Letícia pensa por um instante.

Letícia
Sim... Acho que sim.

Mauro
Interessante.

Laura
É incrível como nesses filmes as armas dos protagonistas tem munição infinita, eles atiram umas cem vezes com pistolas de quinze tiros.

Mauro
Na época ninguém reparava nessas coisas.

Letícia
Você vai ficar com a gente Laura?

Laura
Não sei... Talvez sim.

Letícia
Seria bom se vocês ficassem.

Laura
Estamos pensando a respeito, vocês parecem boas pessoas.

Letícia
Precisamos nos unir se quisermos reconstruir o mundo.

Mauro
Não sabia que estávamos planejando reconstruir o mundo.

Letícia
Esta na pauta de afazeres.

Mauro
Isso vai dar muito trabalho.

Letícia
Eu sei.

Laura
Por que estamos trazendo os corpos?
Mauro
Intimidação.

Letícia
Não, eles podem querer dar um enterro digno a todos aqueles que nós matamos.

Laura
Ou talvez queiram nos matar.

Letícia
Tem uma pequena possibilidade disso acontecer... Entretanto a julgar pela quantidade de armas que eles levaram para nos atacar e que agora estão em nosso poder, não deve ter muitas armas, nem muitas pessoas que possam manusear as armas.

Laura
Teoricamente você pode esta certa.

Letícia
Confia em mim... Eles não vão atacar.

Laura olha para Mauro que continua dirigindo.

EXT.Rua-Dia

Eles estão chegando em frente a emissora de TV, Mauro para o caminhão em frente ao portão.

INT.Caminhão-Dia

Mauro olha para Letícia.

Mauro
Vamos descobrir se você esta certa.

Letícia
Tenham suas armas em mãos por via das duvidas.

Mauro
Você é quem manda.

EXT.Rua-Dia

Letícia desce do caminhão ela esta com sua pistola na cintura, Mauro e Laura descem ele esta com sua metralhadora e Laura segurando duas pistolas.

Laura
Isso não parece bom.
Mauro
Silencio demais.

Laura
Eles podem ter um sniper escondido.

Letícia
Eles teriam levado se tivessem um.

Laura
Tem razão.

Letícia
Vou ate o portão me deem cobertura.

Letícia caminha ate o portão.

Laura
Ela é corajosa.

Mauro
Entre outras coisas.

Laura
Vocês dois já...

Mauro
Não!

Laura
Por acaso você não estaria com um mal pressentimento em relação a isso, estaria?

Mauro
Pra falar a verdade estou sim.

Laura
Droga!

Letícia chega ate o portão e bate três vezes no portão de metal e espera por uma resposta.

Letícia
Olá!

Ela bate outra vez no portão.

Letícia
Não me obriguem a derrubar o portão.
Laura
Com certeza agora eles vão se sentir mais a vontade para abrir o portão.

Mauro
Entra no caminhão Laura.

Laura
Por quê?

Mauro
Faz o que estou mandando.

Laura
Ok!

Laura abre a porta do caminhão e entra, Mauro caminha ate o portão e para ao lado de Letícia.

Letícia
Acho que eles não vão abrir.

Mauro
Acho que eles não estão ai.

Letícia
Como assim.

Mauro
No prédio atrás da gente eu vi uma mulher e uma criança.

Letícia olha para o prédio.

Letícia
Não vejo nada.

Mauro
Pode acreditar eles estavam ali a um minuto atrás.

Letícia
O que você sugere?

Mauro
Vamos falar com eles ai decidimos se arrombamos esse portão ou não.

Letícia
O que você acha que houve?

Mauro começa a voltar em direção ao caminhão, Letícia vai atrás dele.

Mauro
Acho que algo fez com que eles fugissem.

Letícia
Zumbis?

Mauro
Com esses muros? Zumbis não seriam um problema.

Mauro abre a porta do caminhão.

Mauro
Nós vamos entrar naquele prédio, fique aqui Laura.

Laura
Nem pensar é assim que as pessoas morrem.

Letícia
Eu fico.

Mauro
Eu prefiro que você venha comigo.

Letícia
Você esta com medo?

Mauro
Não estou com medo, mas estou sentindo uma coisa que eu não sentia desde que tinha dez anos.

Laura
O que?

Mauro
Um frio na espinha.

Tem um vídeo no Facebook quem não viu e quiser assistir é só ir lá

estée: Na Verdade já foi usado em pelo menos dois filmes e uma Hq mais como tem gente que acha que TWD inventou tudo colocando na historia iam dizer imitando TWD o que seria facilmente resolvido lendo um pouco mais ou assistindo alguns filmes antigos.

sábado, 3 de janeiro de 2015

Os últimos Sobreviventes: Parte 10


EXT.Rua-Dia

Hiago e Ana saem de dentro da casa, Hiago dispara uma flecha na cabeça de um zumbi, Ana corre ate um dos carros e tenta abrir a porta.

Ana
Trancado!

Hiago
Tenta o outro.

Hiago atira outra flecha em outro zumbi, depois ele recolhe as flechas, Ana tenta abrir a porta de outro carro e não consegue.

Ana
Estão trancados.

Hiago
Vamos continuar encontraremos algum.

Ana
Ok.

Eles começam a andar pela rua, Hiago para de repente e olha para trás.

Ana
O que foi?

Hiago
Tem um veiculo vindo.

Ana
Droga!

Um carro surge na rua.

Hiago
Vamos voltar pra casa.

Eles correm em direção a casa o carro se aproxima e sobe na calçada antes que Hiago e Ana cheguem à casa de Matias.

Hiago
Problemas.

Ana
Eu notei.
Hiago aponta uma flecha para o carro e Ana aponta a arma, De dentro do carro saem Vitor e Beatriz.

Vitor
Olha só se não são os dois malucos que fugiram do manicômio.

Beatriz
Estão em desvantagem agora.

Hiago
Suponho que tenha mais do seu grupo dentro do carro.

Vitor
Sim, e estão armados.

Hiago olha pra Ana.

Hiago
Algum plano?

Ana
Calma, estou pensando.

Vitor
Sem truques dessa vez.

Beatriz
Dessa vez vocês vão morrer!

Beatriz e Vitor apontam armas na direção de Hiago e Ana.

Julio sai de dentro do carro.

Julio
Eu não dei tal ordem... Abaixem as armas.

Vitor
Eles não são confiáveis e supostamente fugiram do manicômio.

Julio
São apenas dois jovens tentando sobreviver, agora abaixem as armas.

Vitor e Beatriz abaixam as armas, Hiago e Ana não, Julio retira uma arma da cintura e joga no chão.

Julio
Não estou armado, vocês podem abaixar as armas.

Hiago
A gente vai preferir continuar com elas.
Julio
Entendo.

Vitor
Eles são loucos.

Julio
São dois jovens que estão assustados com tudo que esta acontecendo, assim como todos nós.

Hiago
Eu não estou assustado e você Ana?

Ana
Estou um pouquinho.

Beatriz
Eles arrancaram a orelha do Wagner.

Ana
Foi de raspão e eu poderia ter atirado na cabeça dele.

Julio
Mais não atirou por quê?

Ana
Por que eu não quis.

Julio
Por que não são assassinos só querem sobreviver.

Hiago
Você só quer pegar nossas armas.

Julio
Eu teria mais chances de fazer isso com a minha arma não acha?

Hiago
Esta tentando parecer amigável, nós abaixamos a guarda e você nos mata.

Julio
Acredite em mim não quero machucar vocês.

Hiago
Por isso quase nos atropelou com o carro.

Julio
Eu não estava dirigindo.

Vitor levanta a mão como se estivesse se desculpando.
Vitor
Foi mal.

Julio
Que tal conversarmos sem toda essa tensão.

Hiago olha pra Ana que da de ombros.

Hiago
Tudo bem, vamos entrar na casa.

Julio
Ótimo.

Ana
Só você.

Vitor
Não vai senhor.

Julio
Esta tudo bem.

Hiago
Ouviu o cara esta tudo bem.

Julio
Posso pegar minha arma?

Ana pega a arma de Julio no chão.

Ana
A gente fica com ela por enquanto.

Julio
Tudo bem.

Beatriz
Péssima ideia.

Julio
Não se preocupem, vai ficar tudo bem.

Hiago
É, vai ficar tudo bem.

Julio
Se os mortos aparecerem buzinem.

Hiago, Ana e Julio entram na casa de Matias.

INT.Casa De Matias-Sala-Dia

Julio senta no sofá sobre a mira das armas de Hiago e Ana.

Julio
Realmente não é necessário ficar apontando suas armas na minha direção eu não sou uma ameaça.

Ana
Tem zumbis nas ruas, as pessoas estão com medo e fazendo tudo pra sobreviver então você é uma ameaça.

Julio sorri.

Julio
Entendo seu ponto de vista, entretanto nem todo mundo enlouqueceu como você imagina.

Hiago
Nós temos planos coroa, por isso diga logo o que você quer.

Julio
Vocês podem me responder uma coisa primeiro?

Hiago
O que?

Julio
Vocês realmente estavam num manicômio?

Ana
Não!

Julio
Eu imagine vocês parecem bastante lúcidos.

Ana
Eu não diria isso.

Julio
Como vocês se chamam?

Hiago
Fudêncio e Vaginalda!

Ana(Repreendendo)
Hiago!

Julio
Certo, agora já sei que seu nome é Hiago e o seu nome mocinha?

Ana
Ana!

Julio
Minha avó se chamava Ana, Ana Maria na verdade você conhece o significado do seu nome.

Hiago
Não, e ela não tem interesse em saber.

Ana
Talvez eu queira saber.

Hiago
Não me desautorize na frente do refém fica parecendo que somos uma dupla de idiotas.

Ana
O que tem de mais em querer saber o significado do meu nome?

Julio
Eu sou um refém?

Hiago
É!

Julio
Então por que não estou amarrado ou amordaçado.

Hiago
Bem lembrado, Ana procura uma corda.

Ana
Procura você.

Julio
Os braços de vocês não estão cansados de ficar apontando essas armas na minha direção.

Hiago
Da pra aguentar.

Julio
Eu estou desarmado esqueceram? E creio que eu não seja rápido suficiente pra levantar desse sofá e atacar vocês antes que você Ana possa sacar sua arma e atirar contra mim então por que não abaixam as armas e vamos conversar como pessoas civilizadas.

Ana olha para Hiago.

Ana
Faz sentido!
Hiago
Ele esta querendo nos enrolar.

Julio
Eu quero que vocês se unam ao meu grupo.

Hiago
Não gostamos de grupos.

Julio
Eu posso oferecer um futuro.

Ana
Ninguém pode oferecer um futuro, não com essas coisas lá fora.

Julio
Achamos uma escola, muros altos uma boa vista da redondeza, um bom local para sobreviver, temos alimentos de sobra, armas para proteção, médicos...

Ana
Parece bom demais pra ser verdade.

Hiago
Tirou as palavras da minha boca.

Julio
Eu sei que parece, mas estou dizendo a verdade.

Hiago
Em quantos vocês estão?

Julio
Trinta e cinco no momento.

Ana
É muita gente pra alimentar.

Julio
Temos comida pra pelo menos seis meses e estamos buscando mais se vocês olharem no porta malas do carro vão ver mantimentos.

Hiago
Vocês estão saqueando as casas das pessoas.

Julio
Nós pegamos o que eles deixaram para trás e pelas fotos nesses porta-retratos espalhados por essa sala essa não é a casa de vocês.

Hiago
É de um amigo.
Julio
Vocês tem conseguido sobreviver mais vai chegar a hora que vocês dois não vão conseguir se proteger e terão que ver um ao outro morrer ou talvez se tornar uma dessas coisas, é isso que vocês querem?

Hiago
Pode ser que esse dia nunca chegue.

Julio
Ou pode ser amanha.

Ana
O que teríamos que fazer pra entrar nessa escola?

Hiago
Você esta realmente considerando a hipótese?

Ana
Pelo menos deveríamos pensar um pouco a respeito.

Hiago
Não tínhamos planos.

Ana
Nós tínhamos uma aventura, não um plano.

Julio
As coisas não vão melhorar, se o exercito fosse resolver o problema já teria resolvido, não sei se vocês assistiram as ultimas noticias, mas os estados unidos já jogou a toalha o ataque que eles realizaram só serviu pra criar mais dessas coisas.

Hiago
Dane-se que os estados unidos desistiram, nós não somos americanos somos brasileiros e não desistimos nunca.

Ana
Deveríamos ir com ele.

Hiago
Não...

Ana
Hiago, eu não vou deixar você sair por ai sozinho, mas eu não posso deixar essa oportunidade passar então você vem comigo.

Hiago
Eu não vou! Acho que é aqui que a gente se separa.

Moacir: Valeu cara.

Aninha: eu notei o seu sumiço ate me perguntei o que tinha acontecido que bom que arranjou tempo para acompanhar, boa semana.

Estée: Não voltei antes do fim do ano então Feliz natal e Feliz Ano novo pra você e para todos os leitores.

Não sei quando sai o próximo capitulo da historia principal por que o que eu ia usar Walking dead usou algo parecido primeiro então estou pensando o que fazer se mantenho ou mudo.